Teus olhos entristecem

Print Friendly, PDF & Email

Teus olhos entristecem (Fernando Pessoa)

Teus olhos entristecem.
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem…
Não me ouves, e prossigo.
Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez…
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil.

19-10-1935

Publicações relacionadas

De la ciudad moruna De la ciudad moruna (Antonio Machado) De la ciudad moruna tras las murallas ...
Propriedade do perdido Propriedade do perdido (Mario Benedetti) Do ...
Módulo de verão Módulo de verão (Adélia Prado) As cigarras começaram de novo, brutas e brutas...
Sonetos ao Pai Sonetos ao Pai (Augusto dos Anjos) I ...

Deixe uma resposta