Teus olhos entristecem

Print Friendly, PDF & Email

Teus olhos entristecem (Fernando Pessoa)

Teus olhos entristecem.
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem…
Não me ouves, e prossigo.
Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez…
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil.

19-10-1935

Publicações relacionadas

Fragmento de um canto em corda... Fragmento de um canto em cordas de bronze (Álvares de Azevedo) Deixai qu...
Reflexão no.1 Reflexão no.1 (Murilo Mendes) Ninguém sonha duas vezes o mesmo sonho Ninguém...
Debaixo do Tamarindo Debaixo do Tamarindo (Augusto dos Anjos) No tempo de meu Pai, sob estes galho...
Arte poética Arte poética (Mario Benedetti) Do livro "Per...

Deixe uma resposta