Quem cá quiser viver, seja um Gatão

Print Friendly, PDF & Email

Quem cá quiser viver, seja um Gatão (Gregório de Matos)

Se souberas falar também falarás
também satirizaras, se souberas,
e se foras poeta, poetaras.

Cansado de vos pregar
cultíssimas profecias,
quero das culteranias
hoje o hábito enforcar:
de que serve arrebentar,
por quem de mim não tem mágoa?
Verdades direi como água,
porque todos entendais
os ladinos, e os boçais
a Musa praguejadora.
Entendeis-me agora?

Permiti, minha formosa,
que esta prosa envolta em verso
de um Poeta tão perverso
se consagre a vosso pé,
pois rendido à vossa fé
sou já Poeta converso

Mas amo por amar, que é liberdade.

Publicações relacionadas

Torre de ouro Torre de ouro (Cruz e Souza) Desta torre desfraldam-se altaneiras, ...
Não te salves Não te salves (Mario Benedetti) Não fiques parado a beira do caminho, não c...
Chama e fumo Chama e fumo (Manuel Bandeira) Amor - chama e, depois, fumaça... Medita no ...
Si quieren que de este mundo Si quieren que de este mundo (José Martí) Si quieren que de este mundo Llev...

Deixe uma resposta