Bem no Fundo

Print Friendly, PDF & Email

Bem no Fundo (Paulo Leminski)

No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto

a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela – silêncio perpétuo

extinto por lei todo o remorso,
maldito seja que olhas pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais

mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

Publicações relacionadas

Poetas de amanhã Poetas de amanhã (Walt Whitman) Poetas de amanhã: arautos, músicos, cantores...
Canção do exílio Canção do exílio (Gonçalves Dias) Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabi...
O ter deveres, que prolixa coi... O ter deveres, que prolixa coisa! (Álvaro de Campos) O ter deveres, que proli...
Proverbios y cantares Proverbios y cantares (Antonio Machado) I Nunca perseguí la gloria ni ...

Deixe uma resposta