Bem no Fundo

Print Friendly, PDF & Email

Bem no Fundo (Paulo Leminski)

No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto

a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela – silêncio perpétuo

extinto por lei todo o remorso,
maldito seja que olhas pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais

mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

Publicações relacionadas

A um poeta Saxônio A um poeta Saxônio (Jorge Luis Borges) Tradução Tu cuja carne, hoje disper...
Num Dia Excessivamente Nítido Num Dia Excessivamente Nítido (Alberto Caeiro) ...
O Canto Dos Presos O Canto Dos Presos (Augusto dos Anjos) Troa, a alardear bárbaros sons abstrus...
O Binômio de Newton O Binômio de Newton (Álvaro de Campos) O Binômio de Newton é tão belo como a ...

Deixe uma resposta