Pergunte ao pó

Print Friendly, PDF & Email

Pergunte ao pó (Paulo Leminski)

cresce a vida
cresce o tempo
cresce tudo
e vira sempre
esse momento

cresce o ponto
bem no meio
do amor seu centro
assim como
o que a gente sente
e não diz
cresce dentro.

Publicações relacionadas

A volta da mulher morena A volta da mulher morena (Vinicius de Moraes Meus amigos, meus irmãos, cegai ...
Poema de Sete Faces Poema de Sete Faces (Carlos Drummond de Andrade) Quando nasci, um anjo torto ...
Baladas de uma outra terra Baladas de uma outra terra (Fernando Pessoa) Baladas de uma outra terra, alia...
Soneto da separação Soneto da separação (Vinicius de Moraes De repente do riso fez-se o pranto ...

Deixe uma resposta