Pergunte ao pó

Print Friendly, PDF & Email

Pergunte ao pó (Paulo Leminski)

cresce a vida
cresce o tempo
cresce tudo
e vira sempre
esse momento

cresce o ponto
bem no meio
do amor seu centro
assim como
o que a gente sente
e não diz
cresce dentro.

Publicações relacionadas

A plenos pulmões A plenos pulmões (Vladmir Maiakowski) Tradução ...
não creio não creio (Paulo Leminski) do livro "Caprichos e Relaxo...
Nunca Sei Nunca Sei (Alberto Caeiro) Nunca sei como é que se pode achar um poente tr...
Monja Monja (Cruz e Souza) Ó Lua, Lua triste, amargurada, Fantasma de b...

Deixe uma resposta