Tecendo a Manhã

Print Friendly, PDF & Email

Tecendo a Manhã (João Cabral de Melo Neto)

A Educação pela Pedra

1.
Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros galos.

De um que apanhe esse grito que ele
e o lance a outro; de um outro galo
que apanhe o grito de um galo antes
e o lance a outro; e de outros galos
que com muitos outros galos se cruzem
os fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos.

2.
E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendendo para todos, no toldo
(a manhã) que plana livre de armação.

A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão.

Publicações relacionadas

Lágrima de Sangues Lágrima de Sangues (Alvares Azevedo) Taedet animam meam vitae meae. ...
Pedrinhas na janela Pedrinhas na janela (Mario Benedetti) Do liv...
Regina Coeli Regina Coeli (Cruz e Souza) Ó Virgem branca, Estrela dos altares, ...
Antífona Antífona (Cruz e Souza) Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de...

Deixe uma resposta