A guitarra

Print Friendly, PDF & Email

A guitarra (Federico Garcia Lorca)
(In: “Poema da Siguiriya gitana”)

Começa o pranto
da guitarra.
Quebram-se os copos
da madrugada.
Começa o pranto
da guitarra.
É inútil calá-la.
É impossível
calá-la.
Chora monótona
como chora a água,
como chora o vento
sobre a nevada.
É impossível
calá-la.
Chora por coisas
distantes.
Areia do Sul quente
que pede camélias brancas.
Chora flecha sem alvo,
a tarde sem manhã,
e o primeiro passo morto
sobre o ramo.
Oh! guitarra!
Coração malferido
por cinco espadas.

Publicações relacionadas

Primeiros anos Primeiros anos (Ferreira Gullar) Para uma vida de merda nasci em 1930 na ...
A blusa amarela A blusa amarela (Vladmir Maiakowski) Do veludo de minha voz Umas calças pret...
Embriaga-te Embriaga-te (Charles Pierre Baudelaire) Deve- se estar sempre bêbado. É a úni...
Este é o prólogo Este é o prólogo (Federico Garcia Lorca) (7 de a...

Deixe uma resposta