A guitarra

Print Friendly, PDF & Email

A guitarra (Federico Garcia Lorca)
(In: “Poema da Siguiriya gitana”)

Começa o pranto
da guitarra.
Quebram-se os copos
da madrugada.
Começa o pranto
da guitarra.
É inútil calá-la.
É impossível
calá-la.
Chora monótona
como chora a água,
como chora o vento
sobre a nevada.
É impossível
calá-la.
Chora por coisas
distantes.
Areia do Sul quente
que pede camélias brancas.
Chora flecha sem alvo,
a tarde sem manhã,
e o primeiro passo morto
sobre o ramo.
Oh! guitarra!
Coração malferido
por cinco espadas.

Publicações relacionadas

Oh ! Páginas da Vida que Eu Am... Oh ! Páginas da Vida que Eu Amava (Alvares Azevedo) Oh! Páginas da vida que ...
Vou-me embora pra Pasárgada Vou-me embora pra Pasárgada (Manuel Bandeira) Vou-me embora pra Pasárgada L...
O céu O céu (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Wenceslau de Queiroz Por...
Balada das dez bailarinas do c... Balada das dez bailarinas do cassino (Cecília Meireles) Dez bailarinas desliz...

Deixe uma resposta