A guitarra

Print Friendly, PDF & Email

A guitarra (Federico Garcia Lorca)
(In: “Poema da Siguiriya gitana”)

Começa o pranto
da guitarra.
Quebram-se os copos
da madrugada.
Começa o pranto
da guitarra.
É inútil calá-la.
É impossível
calá-la.
Chora monótona
como chora a água,
como chora o vento
sobre a nevada.
É impossível
calá-la.
Chora por coisas
distantes.
Areia do Sul quente
que pede camélias brancas.
Chora flecha sem alvo,
a tarde sem manhã,
e o primeiro passo morto
sobre o ramo.
Oh! guitarra!
Coração malferido
por cinco espadas.

Publicações relacionadas

A Bruxa A Bruxa (Carlos Drummond de Andrade) Nesta cidade do Rio, de dois milhões d...
Expulso Por Bom Motivo Expulso Por Bom Motivo (Bertold Brecht) Eu cresci como filho De gente abasta...
De Que Serve a Bondade De Que Serve a Bondade (Bertold Brecht) 1 De que serve a bondade Se os bons...
Romance de la luna, luna Romance de la luna, luna (Federico Garcia Lorca) En la mitad del barranco la...

Deixe uma resposta