A umas saudades

Print Friendly, PDF & Email

A umas saudades (Gregório de Matos)

Parti, coração, parti,
navegai sem vos deter,
ide-vos, minhas saudades
a meu amor socorrer.

Em o mar do meu tormento
em que padecer me vejo
já que amante me desejo
navegue o meu pensamento:
meus suspiros, formai vento,
com que me façais ir ter
onde me apeteço ver;
e diga minha alma assi:
Parti, coração, parti,
navegai sem vos deter.

Ide donde meu amor
apesar desta distância
não há perdido constância
nem demitido o rigor:
antes é tão superior
que a si se quer exceder,
e se não desfalecer
em tantas adversidades,
Ide-vos minhas saudades
a meu amor socorrer.

Publicações relacionadas

Noite carioca Noite carioca (Ana Cristina Cesar) Diálogo de surdos, não: amistoso no frio. ...
Um pai-nosso latino-americano Um pai-nosso latino-americano (Mario Benedetti) ...
Soledades Soledades (Mario Benedetti) Ellos tienen razón esa felicidad al menos con...
Ultima visão Ultima visão (Augusto dos Anjos) Quando o homem resgatado da cegueira Vir De...

Deixe uma resposta