Alucinação

Print Friendly, PDF & Email

Alucinação (Cruz e Souza)

Ó solidão do Mar, ó amargor das vagas,
Ondas em convulsões, ondas em rebeldia,
Desespero do Mar, furiosa ventania,
Boca em fel dos tritões engasgada de pragas.

Velhas chagas do sol, ensangüentadas chagas
De ocasos purpurais de atroz melancolia,
Luas tristes, fatais, da atra mudez sombria
Da trágica ruína em vastidões pressagas.

Para onde tudo vai, para onde tudo voa,
Sumido, confundido, esboroado, à-toa,
No caos tremendo e nu dos tempo a rolar?

Que Nirvana genial há de engolir tudo isto –
– Mundos de Inferno e Céu, de Judas e de cristo,
Luas, chagas do sol e turbilhões do Mar?!
.

Publicações relacionadas

O punhal O punhal (Jorge Luis Borges) Tradução Em um estojo tem um punhal. Foi for...
Por Que Mentias? Por Que Mentias? (Álvares de Azevedo) Por que mentias leviana e bela? Se min...
A Cachoeira A Cachoeira (Castro Alves) MAS SÚBITO da noite no arrepio Um mugido soturno ...
Flor do mar Flor do mar (Cruz e Souza) És da origem do mar, vens do secreto, ...

Deixe uma resposta