Angústia

Print Friendly, PDF & Email

Angústia (Graciliano Ramos)

“Lá estão novamente gritando os meus desejos.
Calam-se acovardados, tornam-se inofensivos, transformam-se, correm para a vila recomposta.
Um arrepio atravessa-me a espinha, inteiriça-me os dedos sobre o papel.
Naturalmente são os desejos que fazem isto, mas atribuo a coisa à chuva que bate no telhado e à recordação daquela peneira ranzinza que descia do céu todos os dias.”

Publicações relacionadas

Círculo vicioso Círculo vicioso (Machado de Assis) Bailando no ar, gemia inquieto vagalume: ...
O Único Mistério do Universo O Único Mistério do Universo (Alberto Caeiro) O único mistério do Universo é ...
Canção Boba Canção Boba (Federico Garcia Lorca) Tradução de José Paulo Paes Mamãe, E...
As Montanhas As Montanhas (Augusto dos Anjos) I Das nebulosas em que te emaranhas Leva...

Deixe uma resposta