Auto-retrato

Print Friendly, PDF & Email

Auto-retrato (Manuel Bandeira)

Provinciano que nunca soube
Escolher bem uma gravata;
Pernambucano a quem repugna
A faca do pernambucano;
Poeta ruim que na arte da prosa
Envelheceu na infância da arte,
E até mesmo escrevendo crônicas
Ficou cronista de província;
Arquiteto falhado, músico
Falhado (engoliu um dia
Um piano, mas o teclado
Ficou de fora); sem família,
Religião ou filosofia;
Mal tendo a inquietação de espírito
Que vem do sobrenatural,
E em matéria de profissão
Um tísico profissional.

Publicações relacionadas

Razão de ser Razão de ser (Paulo Leminski) Escrevo. E pronto. Escrevo porque preciso. ...
A minha Mãe A minha Mãe (Bertold Brecht) Tradu...
A vida é um campo de milagres A vida é um campo de milagres (Thiago de Mello Entrevista com Thiago de Mello ...
Quadrilha Quadrilha (Carlos Drummond de Andrade) João amava Teresa que amava Raimundo ...

Deixe uma resposta