Ambiciosa

Print Friendly, PDF & Email

Ambiciosa (Florbela Espanca)

Para aqueles fantasmas que passaram,
Vagabundos a quem jurei amar,
Nunca os meus braços lânguidos traçaram
O voo dum gesto para os alcançar …

Se as minhas mãos em garra se cravaram
Sobre um amor em sangue a palpitar …
Quantas panteras bárbaras mataram
Só pelo raro gosto de matar !

Minh’ alma é como a pedra funerária
Erguida na montanha solitária
Interrogando a vibração dos céus !

O amor dum homem ? Terra tão pisada,
Gota de chuva ao vento baloiçada …
Um homem ? Quando eu sonho o amor de um Deus ! …

Publicações relacionadas

El Cómplice El Cómplice (Jorge Luis Borges) Me crucifican y yo debo ser la cruz y los cla...
Anseios Anseios (Florbela Espanca) Meu doido coração aonde vais, No teu imenso ansei...
A Inês A Inês (George Gordon Byron) Não me sorrias à sombria fronte, Ai! sorrir eu ...
Costernados, raivosos Costernados, raivosos (Mario Benedetti) Do livr...

Deixe uma resposta