Que lindos olhos de azul inocente os do pequenito do agiota!

Print Friendly, PDF & Email

Que lindos olhos de azul inocente os do pequenito do agiota! (Álvaro de Campos)

Que lindos olhos de azul inocente os do pequenito do agiota!
Santo Deus, que entroncamento esta vida!

Tive sempre, feliz ou infelizmente, a sensibilidade humanizada.
E toda morte me doeu sempre pessoalmente,
Sim, não só pelo mistério de ficar inexpressivo o orgânico,
Mas de maneira direta, cá do coração.

Como o sol doura as casas dos réprobos!
Poderei odiá-los sem desfazer do sol?

Afinal que coisa a pensar com o sentimento distraído
Por causa dos olhos de criança de uma criança…

Publicações relacionadas

Para o livro do Aníbal Beça Para o livro do Aníbal Beça (Thiago de Mello Não faço prefácio. Faço um can...
Sentimento do Mundo Sentimento do Mundo (Carlos Drummond de Andrade) Tenho apenas duas mãos e o...
O impossível carinho O impossível carinho (Mário de Andrade) Escuta, eu não quero contar-te o meu ...
A guitarra A guitarra (Federico Garcia Lorca) (In: "Poema da Sig...

Deixe uma resposta