Uma Gargalhada

Print Friendly, PDF & Email

Uma Gargalhada (Alberto Caeiro)

Uma Gargalhada de rapariga soa do ar da estrada.
Riu do que disse quem não vejo.
Lembro-me já que ouvi.
Mas se me falarem agora de uma gargalhada de rapariga da estrada,
Direi: não, os montes, as terras ao sol o sol, a casa aqui,
E eu que só oiço o ruído calado do sangue que há na minha vida dos dois lados da cabeça

Publicações relacionadas

Quando será?! Quando será?! (Cruz e Souza) Quando será que tantas almas duras Em tudo, já ...
Vai pelo cais fora um bulício ... Vai pelo cais fora um bulício de chegada próxima (Álvaro de Campos) Vai pelo ...
Poetas de amanhã Poetas de amanhã (Walt Whitman) Poetas de amanhã: arautos, músicos, cantores...
Subversiva Subversiva (Ferreira Gullar) A poesia quando chega não respeita nada. Nem ...

Deixe uma resposta