Carnal e místico

Print Friendly, PDF & Email

Carnal e místico (Cruz e Souza)

Pelas regiões tenuíssimas da bruma
Vagam as Virgens e as Estrelas raras…
Como que o leve aroma das searas
Todo o horizonte em derredor perfume.

N’uma evaporação de branca espuma
Vão diluindo as perspectives claras…
Com brilhos crus e fúlgidos de tiaras
As Estrelas apagam-se uma a uma.

E então, na treva, em místicas dormências
Desfila, com sidéreas lactescências,
Das Virgens o sonâmbulo cortejo…

Ó Formas vagas, nebulosidades!
Essência das eternas virgindades!
Ó intensas quimeras do Desejo…

Publicações relacionadas

O silêncio e o mar O silêncio e o mar (Mario Benedetti) Do livr...
As litanias de Satã I As litanias de Satã I (Charles Pierre Baudelaire) Ó tu, o Anjo mais belo e ta...
Correspondências Correspondências (Charles Pierre Baudelaire) A natureza é um templo em que vi...
Pastor do Monte Pastor do Monte (Alberto Caeiro) Pastor do monte, tão longe de mim com as t...

Deixe uma resposta