Carnal e místico

Print Friendly, PDF & Email

Carnal e místico (Cruz e Souza)

Pelas regiões tenuíssimas da bruma
Vagam as Virgens e as Estrelas raras…
Como que o leve aroma das searas
Todo o horizonte em derredor perfume.

N’uma evaporação de branca espuma
Vão diluindo as perspectives claras…
Com brilhos crus e fúlgidos de tiaras
As Estrelas apagam-se uma a uma.

E então, na treva, em místicas dormências
Desfila, com sidéreas lactescências,
Das Virgens o sonâmbulo cortejo…

Ó Formas vagas, nebulosidades!
Essência das eternas virgindades!
Ó intensas quimeras do Desejo…

Publicações relacionadas

Ricordanza della mia gioventú Ricordanza della mia gioventú (Augusto dos Anjos) A minha ama-de-leite Guilhe...
Trindade Trindade (Álvares de Azevedo) A vida é uma planta misteriosa Cheia d’espinho...
Não Basta Não Basta (Alberto Caeiro) Não basta abrir a janela Para ver os campos e ...
Mistérios de um Fósforo Mistérios de um Fósforo (Augusto dos Anjos) Pego de um fósforo. Olho-o. Olh...

Deixe uma resposta