Torre de ouro

Print Friendly, PDF & Email

Torre de ouro (Cruz e Souza)

Desta torre desfraldam-se altaneiras,
Por sóis de céus imensos broqueladas,
Bandeiras reais, do azul das madrugadas
E do íris flamejante das poncheiras.

As torres de outras regiões primeiras
No Amor, nas Glórias vãs arrebatadas
Não elevam mais alto, desfraldadas,
Bravas, triunfantes, imortais bandeiras.

São pavilhões das hostes fugitivas,
Das guerras acres, sanguinárias, vivas,
Da luta que os Espíritos ufana.

Estandartes heróicos, palpitantes,
Vendo em marcha passe aniquilantes
As torvas catapultas do Nirvana!

Publicações relacionadas

Autopsicografia Autopsicografia (Fernando Pessoa) O poeta é um fingidor. Finge tã...
Clamo Clamo (Vladmir Maiakowski) Tradução de E. Carrera...
As meninas da gare As meninas da gare (Oswald de Andrade) Eram três ou quatro moças bem moças e ...
Te quero Te quero (Mario Benedetti) Tradução Tuas mãos são minhas carícias meus a...

Deixe uma resposta