A minha Mãe

Print Friendly, PDF & Email

A minha Mãe (Bertold Brecht)

Tradução de Paulo César de Souza

Quando ela acabou, foi colocada na terra
Flores nascem, borboletas esvoejam por cima…
Ela, leve, não fez pressão sobre a terra
Quanta dor foi preciso para que ficasse tão leve!

Publicações relacionadas

Soma Soma (Arnaldo Antunes) mais que lento: parado mais que parado: morto mais...
Alguns Toureiros Alguns Toureiros (João Cabral de Melo Neto) a Antôn...
O menino doente O menino doente (Manuel Bandeira) O menino dorme. Para que o menino Durm...
Eu Nunca Guardei Rebanhos Eu Nunca Guardei Rebanhos (Alberto Caeiro) ...

Deixe uma resposta