Mater Originalis

Print Friendly, PDF & Email

Mater Originalis (Augusto dos Anjos)

Forma vermicular desconhecida
Que estacionaste, mísera e mofina,
Como quase impalpável gelatina,
Nos estados prodrômicos da vida;

O hierofante que leu a minha sina
Ignorante é de que és, talvez, nascida
Dessa homogeneidade indefinida
Que o insigne Herbert Spencer nos ensina.

Nenhuma ignota união ou nenhum nexo
A contingência orgânica do sexo
A tua estacionária alma prendeu…

Ah! de ti foi que, autônoma e sem normas,
Oh! Mãe original das outras formas,
A minha forma lúgubre nasceu!

Publicações relacionadas

Minha boemia Minha boemia (Arthur Rimbaud) Traduç...
A casada infiel A casada infiel (Federico Garcia Lorca) (A Lydia ...
Hino à Dor Hino à Dor (Augusto dos Anjos) Dor, saúde dos seres que se fanam, Riqueza da...
Estado de ânimo Estado de ânimo (Mario Benedetti) Tradução As vezes me sinto como uma águ...

Deixe uma resposta