Mater Originalis

Print Friendly, PDF & Email

Mater Originalis (Augusto dos Anjos)

Forma vermicular desconhecida
Que estacionaste, mísera e mofina,
Como quase impalpável gelatina,
Nos estados prodrômicos da vida;

O hierofante que leu a minha sina
Ignorante é de que és, talvez, nascida
Dessa homogeneidade indefinida
Que o insigne Herbert Spencer nos ensina.

Nenhuma ignota união ou nenhum nexo
A contingência orgânica do sexo
A tua estacionária alma prendeu…

Ah! de ti foi que, autônoma e sem normas,
Oh! Mãe original das outras formas,
A minha forma lúgubre nasceu!

Publicações relacionadas

Lágrimas Ocultas Lágrimas Ocultas (Florbela Espanca) Se me ponho a cismar em outras eras Em q...
Um cinturão Um cinturão (Graciliano Ramos) As minhas primeiras relações com a justiça for...
A um legista A um legista(Machado de Assis) Tu foges à cidade? Feliz amigo! Vão Contig...
Manhã Manhã (Ferreira Gullar) As portas batem as toalhas voam o dia se esbaqueia ...

Deixe uma resposta