A cada canto um grande conselheiro

Print Friendly, PDF & Email

A cada canto um grande conselheiro (Gregório de Matos)

A cada canto um grande conselheiro,
Que nos quer governar cabana, e vinha,
Não sabem governar sua cozinha,
E podem governar o mundo inteiro.

Em cada porta um freqüentado olheiro,
Que a vida do vizinho, e da vizinha
Pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha,
Para a levar à Praça, e ao Terreiro.

Muitos Mulatos desavergonhados,
Trazidos pelos pés os homens nobres,
Posta nas palmas toda a picardia.

Estupendas usuras nos mercados,
Todos, os que não furtam, muito pobres,
E eis aqui a cidade da Bahia.

Publicações relacionadas

Sugestão Sugestão (Thiago de Mello Antes que venham ventos e te levem do peito o amo...
Seu espelho é um sagaz Seu espelho é um sagaz (Mario Benedetti) Do ...
Currículo Currículo (Mario Benedetti) Tradução A história é muito simples você nasc...
Confesso eu sou poeta Confesso eu sou poeta (Paulo Leminski) parem eu confesso sou poeta ca...

Deixe uma resposta