A cada canto um grande conselheiro

Print Friendly, PDF & Email

A cada canto um grande conselheiro (Gregório de Matos)

A cada canto um grande conselheiro,
Que nos quer governar cabana, e vinha,
Não sabem governar sua cozinha,
E podem governar o mundo inteiro.

Em cada porta um freqüentado olheiro,
Que a vida do vizinho, e da vizinha
Pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha,
Para a levar à Praça, e ao Terreiro.

Muitos Mulatos desavergonhados,
Trazidos pelos pés os homens nobres,
Posta nas palmas toda a picardia.

Estupendas usuras nos mercados,
Todos, os que não furtam, muito pobres,
E eis aqui a cidade da Bahia.

Publicações relacionadas

O Buraco do Espelho O Buraco do Espelho (Arnaldo Antunes) o buraco do espelho está fechado agora...
Inventario galante Inventario galante (Antonio Machado) Tus ojos me recuerdan las noches de ve...
A caridade A caridade (Augusto dos Anjos) No universo a caridade Em contraste ao vício ...
A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - I (Oscar Wilde) CAPÍTULO I Quando mister Hiram B. O...

Deixe uma resposta