A cada canto um grande conselheiro

Print Friendly, PDF & Email

A cada canto um grande conselheiro (Gregório de Matos)

A cada canto um grande conselheiro,
Que nos quer governar cabana, e vinha,
Não sabem governar sua cozinha,
E podem governar o mundo inteiro.

Em cada porta um freqüentado olheiro,
Que a vida do vizinho, e da vizinha
Pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha,
Para a levar à Praça, e ao Terreiro.

Muitos Mulatos desavergonhados,
Trazidos pelos pés os homens nobres,
Posta nas palmas toda a picardia.

Estupendas usuras nos mercados,
Todos, os que não furtam, muito pobres,
E eis aqui a cidade da Bahia.

Publicações relacionadas

Pensar em Deus Pensar em Deus (Alberto Caeiro) De O ...
With the man With the man (Paulo Leminski) aqui no oeste todo homem tem um preço u...
Pepa Pepa (Antero de Quental) Dá-me pois olhos e lábios; Da-me os seios, da-me o...
Vegetaciones Vegetaciones (Pablo Neruda) A las tierras sin nombres y sin números bajaba e...

Deixe uma resposta