Creio

Print Friendly, PDF & Email

Creio (Alberto Caeiro)

Creio que irei morrer.
Mas o sentido de morrer não me move,
Lembro-me que morrer não deve ter sentido.
Isto de viver e morrer são classificações como as das plantas.
Que folhas ou que flores têm uma classificação?
Que vida tem a vida ou que morte a morte?
Tudo são termos onde se define.
…segue um verso ilegível e incompleto.

Publicações relacionadas

Poema com absorvências Poema com absorvências (Adélia Prado) Poema com absorvências no totalmeute p...
Um beijo que tivesse um blue Um beijo que tivesse um blue (Ana Cristina Cesar) Um Beijo que tivesse um b...
A casada infiel A casada infiel (Federico Garcia Lorca) (A Lydia ...
Últimas lamentaciones de Abel ... Últimas lamentaciones de Abel Martín (Antonio Machado) Hoy, con la primavera,...

Deixe uma resposta