Guerra

Print Friendly, PDF & Email

Guerra (Augusto dos Anjos)

Guerra é esforço, é inquietude, é ânsia, é transporte…
E a dramatização sangrenta e dura
Vir Deus num simples grão de argila errante,
Da avidez com que o Espírito procura

É a Subconsciência que se transfigura
Em volição conflagradora… E a coorte
Das raças todas, que se entrega à morte
Para a felicidade da Criatura!

É a obsessão de ver sangue, é o instinto horrendo
De subir, na ordem cósmica, descendo
A irracionalidade primitiva…

É a Natureza que, no seu arcano,
Precisa de encharcar-se em sangue humano
Para mostrar aos homens que está viva! Engenho Pau d’Arco – 14 de dezembro de 1901.

Publicações relacionadas

Se minhas mãos pudessem desfol... Se minhas mãos pudessem desfolhar (Federico Garcia Lorca) ...
Supreme Convulsion Supreme Convulsion (Augusto dos Anjos) O equilíbrio do humano pensamento Sof...
Preceito 05 Preceito 05 (Gregório de Matos) Vamos ao quinto preceito, Santo Antônio v...
Subúrbia Subúrbia (Mario Benedetti) Do livro "Inventár...

Deixe uma resposta