O Cúmplice

Print Friendly, PDF & Email

O Cúmplice (Jorge Luis Borges)

Tradução

Me crucificaram e eu devo ser a cruz e os cravos.
Me oferecem a taça e eu devo ser a cicuta.
Me enganam e eu devo ser a mentira.
Me incendiam e eu devo ser o inferno.
Devo louvar e agradecer cada instante do tempo.
Meu alimento são todas as coisas.
O peso preciso do universo, a humilhação, o júbilo.
Devo justificar minha ventura ou minha desventura.
Sou o poeta.

Publicações relacionadas

Braços Braços (Cruz e Souza) Braços nervosos, brancas opulências, Brumai...
El mañana efímero El mañana efímero (Antonio Machado) A Roberto Castrovido La España de ...
Mater Mater (Augusto dos Anjos) Como a crisálida emergindo do ovo Para que o campo...
Lembrança de Morrer Lembrança de Morrer (Álvares de Azevedo) "No more! o never more!" ...

Deixe uma resposta