O Cúmplice

Print Friendly, PDF & Email

O Cúmplice (Jorge Luis Borges)

Tradução

Me crucificaram e eu devo ser a cruz e os cravos.
Me oferecem a taça e eu devo ser a cicuta.
Me enganam e eu devo ser a mentira.
Me incendiam e eu devo ser o inferno.
Devo louvar e agradecer cada instante do tempo.
Meu alimento são todas as coisas.
O peso preciso do universo, a humilhação, o júbilo.
Devo justificar minha ventura ou minha desventura.
Sou o poeta.

Publicações relacionadas

A vida anterior A vida anterior (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Guilherme de Almeida...
Cravo de noiva Cravo de noiva (Augusto dos Anjos) Cravo de noiva. A nívea cor de cera Que o...
Poética Poética (Manuel Bandeira) Estou farto do lirismo comedido Do lirismo bem com...
Outros Outros (Oscar Wilde) "uma coisa não se torna necessariamente verdadeira por a...

Deixe uma resposta