O Cúmplice

Print Friendly, PDF & Email

O Cúmplice (Jorge Luis Borges)

Tradução

Me crucificaram e eu devo ser a cruz e os cravos.
Me oferecem a taça e eu devo ser a cicuta.
Me enganam e eu devo ser a mentira.
Me incendiam e eu devo ser o inferno.
Devo louvar e agradecer cada instante do tempo.
Meu alimento são todas as coisas.
O peso preciso do universo, a humilhação, o júbilo.
Devo justificar minha ventura ou minha desventura.
Sou o poeta.

Publicações relacionadas

Elogio da Dialética Elogio da Dialética (Bertold Brecht) A injustiça passeia pelas ruas com passo...
Dilacerações Dilacerações (Cruz e Souza) Ó carnes que eu amei sangrentamente, ...
Na Morte De Um Combatente Da P... Na Morte De Um Combatente Da Paz (Bertold Brecht) Á memória de Carl von Ossie...
Se às Vezes Digo que as Flores... Se às Vezes Digo que as Flores Sorriem (Alberto Caeiro) ...

Deixe uma resposta