Preceito 05

Print Friendly, PDF & Email

Preceito 05 (Gregório de Matos)

Vamos ao quinto preceito,

Santo Antônio vá comigo,

e me depare algum meio,

para livrar do seu risco.

Porque suposto que sejam

quietos, mansos, benignos,

quantos pisam meus oiteiros,

montes, vales, e sombrios;

Pode suceder, que esteja

algum áspide escondido

entre as flores, como diz

aquele provérbio antigo.

Faltar não quero à verdade

nem dar ao mentir ouvidos,

o de César dê-se a César,

o de Deus a Jesus Cristo.

Não tenho brigas, nem mortes

pendências, nem arruídos,

tudo é paz, tranqüilidade,

cortejo com regozijo:

Era dourada parece,

mas não é como eu a pinto

porque debaixo deste ouro

tem as fezes escondido.

Que importa não dar aos corpos

golpes, catanadas, tiros,

e que só sirvam de ornato

espada, e cotós limpos?

Que importa, que não se enforquem

os ladrões, e os assassinos,

os falsários, maldizentes,

e outros a este tonilho?

Se debaixo desta paz,

deste amor falso, e fingido

há fezes tão venenosas,

que o ouro é chumbo mofino

É o amor um mortal ódio,

sendo todo o incentivo

a cobiça do dinheiro,

ou a inveja dos ofícios.

Todos pecam no desejo

de querer ver seus patrícios

ou da pobreza arrastados,

ou do crédito abatidos.

E sem outra cousa mais

se dão a destro, e sinistro

pela honra, e pela fama

golpes cruéis, e infinitos.

Nem ao sagrado perdoam,

seja Rei, ou seja Bispo,

ou Sacerdote, ou Donzela

metida no seu retiro.

A todos enfim dão golpes

de enredos, e mexericos

tão cruéis, e tão nefandos,

que os despedaçam em cisco.

Pelas mãos nada; porque

não sabem obrar no quinto;

mas pelas línguas não há

leões mais enfurecidos.

E destes valentes fracos

nasce todo o meu martírio;

digam todos, os que me ouvem,

se falo a verdade, ou minto.

Publicações relacionadas

A morte de vênus A morte de vênus (Augusto dos Anjos) Velhos berilos, pálidas cortinas, Morno...
O relógio O relógio (João Cabral de Melo Neto) 1. Ao redor da vida do h...
El juego en que andamos El juego en que andamos (Juan Gelman) Do livro "El juego...
Queixas Noturnas Queixas Noturnas (Augusto dos Anjos) Quem foi que viu a minha Dor chorando?! ...

Deixe uma resposta