Solidões

Print Friendly, PDF & Email

Solidões (Mario Benedetti)

Tradução

Eles tem razão
essa felicidade
ao menos com maiúscula
não existe
ah, mas se existisse com maiúscula
seria semelhante à nossa breve
pré solidão
depois da alegria a pré solidão
depois da plenitude vem a solidão
depois do amor vem a solidão

sei que é uma pobre deformação
mas o certo é que nesse minuto duradouro
nos sentimos
sós no mundo
sem ocasiões
sem pretextos
sem abraços
sem rancores
sem as coisas que unem ou separam

e nessa única forma de estar só
nem sequer nós apiedamos de nós mesmos

os dados objetivos são como seguem

há dez centímetros de silêncio
entre tuas mãos e minhas mãos
uma fronteira de palavras não ditas
entre teus lábios e meus lábios
e algo que brilha assim de triste
entre teus olhos e meus olhos

claro que a solidão não vem só

se olhamos sobre o ombro triste
de nossa solidão
se verá um largo e compacto impossível
um simples respeito por terceiros e quartos
esse transtorno de ser boa gente.

depois da alegria
depois da plenitude
depois do amor
vem a solidão

de acordo
mas
que virá depois
da solidão?

as vezes não me sinto
tão só

se imagino
melhor dito, sei
que além da minha solidão
e da tua

outra vez estás vós
ainda que perguntando-me à sós
que virá depois
da solidão.

Publicações relacionadas

O silêncio e o mar O silêncio e o mar (Mario Benedetti) Do livr...
À Cidade da Bahia À Cidade da Bahia (Gregório de Matos) Triste Bahia! Ó quão dessemelhante Est...
Depois da Orgia Depois da Orgia (Augusto dos Anjos) O prazer que na orgia a hetaíra goza Pro...
A blusa amarela A blusa amarela (Vladmir Maiakowski) Do veludo de minha voz Umas calças pret...

Deixe uma resposta