A Esmola de Dulce

Print Friendly, PDF & Email

A Esmola de Dulce (Augusto dos Anjos)

Ao Alfredo A.

E todo o dia eu vou como um perdido
De dor, por entre a dolorosa estrada,
Pedir a Dulce, a minha bem amada,
A esmola dum carinho apetecido.

E ela fita-me, o olhar enlanguescido,
E eu balbucio trêmula balada:
– Senhora, dai-me u’a esmola – e estertorada
A minha voz soluça num gemido.

Morre-me a voz, e eu gemo o último harpejo,
Estendo à Dulce a mão, a fé perdida,
E dos lábios de Dulce cai um beijo.

Depois, como este beijo me consola!
Bendita seja a Dulce! A minha vida
Estava unicamente nessa esmola.

Publicações relacionadas

A minha Mãe A minha Mãe (Bertold Brecht) Tradu...
Vai pelo cais fora um bulício ... Vai pelo cais fora um bulício de chegada próxima (Álvaro de Campos) Vai pelo ...
As litanias de Satã (2) As litanias de Satã (2) (Charles Pierre Baudelaire) ...
A Ideia A Ideia (Augusto dos Anjos) De onde ela vem?! De que matéria bruta Vem essa ...

Deixe uma resposta