Mulher e Gata

Print Friendly, PDF & Email

Mulher e Gata (Paul Verlaine)

Ela brincava com a gata
E era admirável ver as duas,
A branca mão e a branca pata,
Brincando à noite, na penumbra.

Ela escondia – a celerada ! –
Sob as mitenes de fio escuro
As assassinas unhas de ágata,
Claras, cortantes, como um gume.

Fingia-se a outra adoçada
E retraía a garra afiada,
Mas o diabo nada perdia…

E no toucador retinia
O som de aéreas gargalhadas
E quatro pontos fosforesciam.

Publicações relacionadas

Dia Dia (Adélia Prado) As galinhas com susto abrem o bico e param daquele jeito ...
Ambiciosa Ambiciosa (Florbela Espanca) Para aqueles fantasmas que passaram, Vagabundo...
O analfabeto político O analfabeto político (Bertold Brecht) "O pior analfabeto é o analfabeto polí...
Estado de ânimo Estado de ânimo (Mario Benedetti) Tradução As vezes me sinto como uma águ...

Deixe uma resposta