Ao Entardecer

Print Friendly, PDF & Email

Ao Entardecer (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Ao entardecer, debruçado pela janela,
E sabendo de soslaio que há campos em frente,
Leio até me arderem os olhos
O livro de Cesário Verde.

Que pena que tenho dele!Ele era um camponês
Que andava preso em liberdade pela cidade.
Mas o modo como olhava para as casas,
E o modo como reparava nas ruas,
E a maneira como dava pelas cousas,
É o de quem olha para árvores,
E de quem desce os olhos pela estrada por onde vai andando
E anda a reparar nas flores que há pelos campos …

Por isso ele tinha aquela grande tristeza
Que ele nunca disse bem que tinha,
Mas andava na cidade como quem anda no campo
E triste como esmagar flores em livros
E pôr plantas em jarros…

Publicações relacionadas

O Cúmplice O Cúmplice (Jorge Luis Borges) Tradução Me crucificaram e eu devo ser a cr...
Egmont (1787, tragédia em 5 at... Egmont (1787, tragédia em 5 atos) - resumo (Johann Wofgang von Goethe) A ação...
Dolências (Oh! Lua morta de mi... Dolências (Oh! Lua morta de minha vida) (Augusto dos Anjos) Oh! Lua morta de ...
A desobediência civil – ... A desobediência civil - I (Henry David Thoreau) Aceito com entusiasmo o lema ...

Deixe uma resposta