O Meu Olhar

Print Friendly, PDF & Email

O Meu Olhar (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

O meu olhar é nítido como um girassol.
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda,
E de, vez em quando olhando para trás…
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem…
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras…
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo…

Creio no mundo como num malmequer,
Porque o vejo.Mas não penso nele
Porque pensar é não compreender …

O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo…

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos…
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe por que ama, nem o que é amar …
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência não pensar…

Publicações relacionadas

No meio da noite No meio da noite (Adélia Prado) Acordei meu bem pra lhe contar meu sonho: se...
Lágrima de Sangues Lágrima de Sangues (Alvares Azevedo) Taedet animam meam vitae meae. ...
Monólogo de uma Sombra Monólogo de uma Sombra (Augusto dos Anjos) Sou uma Sombra! Venho de outras er...
Pátio Pátio (Jorge Luis Borges) Tradução de...

Deixe uma resposta