Madrigal à cibdá de Santiago

Print Friendly, PDF & Email

Madrigal à cibdá de Santiago (Federico Garcia Lorca)

Seis Poemas Galegos (1935)

CHOVE en Santiago
meu doce amor.
Camelia branca do ar
brila entenebrecida ô sol.

Chove en Santiago
na noite escura.
Herbas de prata e de sono
cobren a valeira lúa.

Olla a choiva pol-a rúa,
laio de pedra e cristal.
Olla no vento esvaído
soma e cinza do teu mar.

Soma e cinza do teu mar
Santiago, lonxe do sol;
Agoa da mañán anterga
trema no meu corazón.

Publicações relacionadas

Monólogo de uma Senhora Monólogo de uma Senhora (Augusto dos Anjos) A Morte me livrou da contingência...
Uma Amiga Uma Amiga (Antero de Quental) Aqueles que eu amei, nao sei que vento Os dis...
Lirial Lirial (Augusto dos Anjos) Por que choras assim, tristonho lírio, Se eu sou ...
Poemetos Poemetos (Paulo Leminski) I É quando a vida vase É quando como quase....

Deixe uma resposta