Madrigal à cibdá de Santiago

Print Friendly, PDF & Email

Madrigal à cibdá de Santiago (Federico Garcia Lorca)

Seis Poemas Galegos (1935)

CHOVE en Santiago
meu doce amor.
Camelia branca do ar
brila entenebrecida ô sol.

Chove en Santiago
na noite escura.
Herbas de prata e de sono
cobren a valeira lúa.

Olla a choiva pol-a rúa,
laio de pedra e cristal.
Olla no vento esvaído
soma e cinza do teu mar.

Soma e cinza do teu mar
Santiago, lonxe do sol;
Agoa da mañán anterga
trema no meu corazón.

Publicações relacionadas

3 de Maio 3 de Maio (Oswald de Andrade) Aprendi com meu filho de dez anos Que a poesia...
A Exceção e a Regra A Exceção e a Regra (Bertold Brecht) Estranhem o que não for estranho. Tomem...
Cantiga de Malazarte Cantiga de Malazarte (Murilo Mendes) Eu sou o olhar que penetra nas camadas d...
Danza da Lúa en Santiago Danza da Lúa en Santiago (Federico Garcia Lorca) Seis Poemas Galegos (1935) ...

Deixe uma resposta