Madrigal à cibdá de Santiago

Print Friendly, PDF & Email

Madrigal à cibdá de Santiago (Federico Garcia Lorca)

Seis Poemas Galegos (1935)

CHOVE en Santiago
meu doce amor.
Camelia branca do ar
brila entenebrecida ô sol.

Chove en Santiago
na noite escura.
Herbas de prata e de sono
cobren a valeira lúa.

Olla a choiva pol-a rúa,
laio de pedra e cristal.
Olla no vento esvaído
soma e cinza do teu mar.

Soma e cinza do teu mar
Santiago, lonxe do sol;
Agoa da mañán anterga
trema no meu corazón.

Publicações relacionadas

Minha Desgraça Minha Desgraça (Álvares de Azevedo) Minha desgraça não é ser poeta, Nem na t...
La casada infiel La casada infiel (Federico Garcia Lorca) A Lydia Cabrera...
Sino partido Sino partido (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Paulo Cesar Piment...
Budismo Moderno Budismo Moderno (Augusto dos Anjos) Tome, Dr., esta tesoura e... corte Minha...

Deixe uma resposta