Da Sedução dos Anjos

Print Friendly, PDF & Email

Da Sedução dos Anjos (Bertold Brecht)

Anjos seduzem-se: nunca ou a matar.
Puxa-o só para dentro de casa e mete-lhe
a língua na boca e os dedos sem frete
Por baixo da saia até se molhar
Vira-o contra a parede, ergue-lhe a saia
E fode-o. Se gemer, algo crispado
Segura-o bem, fá-lo vir-se em dobrado
Para que do choque no fim te não caia.

Exorta-o a que agite bem o cú
Manda-o tocar-te os guizos atrevido
Diz que ousar na queda lhe é permitido
Desde que entre o céu e a terra flutue –

Mas não o olhes na cara enquanto fodes
E as asas, rapaz, não lhas amarrotes.

Publicações relacionadas

Galope Galope (Rafael Alberti) Las tierras, las tierras, las tierras de España, la...
Poética Poética (Federico Garcia Lorca) (Lo...
Saudação Saudação (Adélia Prado) Ave, Maria! Ave, carne florescida em Jesus. Ave, s...
O Condenado O Condenado (Augusto dos Anjos) Folga a justiça e ...

Deixe uma resposta