Espelho

Print Friendly, PDF & Email

Espelho (Mário Quintana)

Por acaso, surpreendo-me no espelho:
Quem é esse que me olha e é tão mais velho que eu? (…)
Parece meu velho pai – que já morreu! (…)
Nosso olhar duro interroga:
“O que fizeste de mim?” Eu pai? Tu é que me invadiste.
Lentamente, ruga a ruga… Que importa!
Eu sou ainda aquele mesmo menino teimoso de sempre
E os teus planos enfim lá se foram por terra,
Mas sei que vi, um dia – a longa, a inútil guerra!
Vi sorrir nesses cansados olhos um orgulho triste…”

Publicações relacionadas

Propriedade do perdido Propriedade do perdido (Mario Benedetti) Do ...
Cantiga de Malazarte Cantiga de Malazarte (Murilo Mendes) Eu sou o olhar que penetra nas camadas d...
Mãos Mãos (Augusto dos Anjos) Há mãos que fazem medo Feias agregações pentagonai...
Meu Deus, me dê a coragem Meu Deus, me dê a coragem (Clarice Lispecto) Meu Deus, me dê a coragem de ...

Deixe uma resposta