Ideal

Print Friendly, PDF & Email

Ideal (Augusto dos Anjos)

Quero-te assim, formosa entre as formosas,
No olhar d’amor a mística fulgência
E o misticismo cândido das rosas,
Plena de graça, santa de inocência!

Anjo de luz de astral aurifulgência,
Etéreo como as Wilis vaporosas,
Embaladas no albor da adolescência,
– Virgens filhas das virgens nebulosas!

Quero-te assim, formosa, entre esplendores,
Colmado o seio de virentes flores,
A alma diluída em eterais cismares…

Quero-te assim – e que bendita sejas
Como as aras sagradas das igrejas,
Como o Cristo sagrado dos altares.

Publicações relacionadas

Hombre de la esquina rosada Hombre de la esquina rosada (Jorge Luis Borges) ...
Oração Oração (Henry David Thoreau) Senhor! Não vos peço riqueza menor Do que a de ...
Sentimento do Mundo Sentimento do Mundo (Carlos Drummond de Andrade) Tenho apenas duas mãos e o...
Turning point Turning point (Mario Benedetti) Do livro "Inv...

Deixe uma resposta