Irene no céu

Print Friendly, PDF & Email

Irene no céu (Manuel Bandeira)

Irene preta
Irene boa
Irene sempre de bom humor.

Imagino Irene entrando no céu:
— Licença, meu branco!
E São Pedro bonachão:
— Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.

Publicações relacionadas

Na Guerra Muitas Coisas Cresce... Na Guerra Muitas Coisas Crescerão (Bertold Brecht) Ficarão maiores As proprie...
Passei Toda a Noite Passei Toda a Noite (Alberto Caeiro) Passei toda a noite, sem dormir...
Tengo Tengo (Nicolás Guillén) De Tengo Cuando me veo y t...
Poemas malditos Poemas malditos (Álvares de Azevedo) De tanta inspiração e tanta vida Que os...

Deixe uma resposta