Nada É Impossível De Mudar

Print Friendly, PDF & Email

Nada É Impossível De Mudar (Bertold Brecht)

Desconfiai do mais trivial ,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada, de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.

Publicações relacionadas

O cavalo baloiço vencedor O cavalo baloiço vencedor (David Hebert Lawrence) Havia uma mulher que er...
Pálida à Luz Pálida à Luz (Álvares de Azevedo) Pálida à luz da lâmpada sombria, Sobre o lei...
Embriaga-te Embriaga-te (Charles Pierre Baudelaire) Deve- se estar sempre bêbado. É a úni...
A Mulher que Passa A Mulher que Passa (Vinicius de Moraes Meu Deus, eu quero a mulher que passa ...

Deixe uma resposta