Nada É Impossível De Mudar

Print Friendly, PDF & Email

Nada É Impossível De Mudar (Bertold Brecht)

Desconfiai do mais trivial ,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada, de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.

Publicações relacionadas

Passou a Diligência Passou a Diligência (Alberto Caeiro) ...
Eu Eu (Paulo Leminski) eu quando olho nos olhos sei quando uma pessoa e...
O que Nós Vemos O que Nós Vemos (Alberto Caeiro) De...
Círculo Círculo (Adélia Prado) Na sala de janta da pensão tinha um jogo de taças ro...

Deixe uma resposta