Na Morte De Um Combatente Da Paz

Print Friendly, PDF & Email

Na Morte De Um Combatente Da Paz (Bertold Brecht)

Á memória de Carl von Ossietzky
Aquele que não cedeu
Foi abatido
O que foi abatido
Não cedeu.
A boca do que preveniu
Está cheia de terra.
A aventura sangrenta
Começa.
O túmulo do amigo da paz
É pisoteado por batalhões.
Então a luta foi em vão?
Quando é abatido o que não lutou só
O inimigo Ainda não venceu.

Publicações relacionadas

O impossível carinho O impossível carinho (Mário de Andrade) Escuta, eu não quero contar-te o meu ...
Evocação do Recife Evocação do Recife (Manuel Bandeira) Recife Não a Veneza americana Não a Ma...
Los Espejos Los Espejos (Jorge Luis Borges) Yo que sentí el horror de los espejos no só...
A um Historiador A um Historiador (Walt Whitman) Você, que fala de coisas passadas, tem explo...

Deixe uma resposta