Na Morte De Um Combatente Da Paz

Print Friendly, PDF & Email

Na Morte De Um Combatente Da Paz (Bertold Brecht)

Á memória de Carl von Ossietzky
Aquele que não cedeu
Foi abatido
O que foi abatido
Não cedeu.
A boca do que preveniu
Está cheia de terra.
A aventura sangrenta
Começa.
O túmulo do amigo da paz
É pisoteado por batalhões.
Então a luta foi em vão?
Quando é abatido o que não lutou só
O inimigo Ainda não venceu.

Publicações relacionadas

Aos Meus Filhos Aos Meus Filhos (Augusto dos Anjos) Na intermitência da vital canseira, Sois...
Último aviso Último aviso (Paulo Leminski) caso alguma coisa me acontecer, informem a fa...
A morte absoluta A morte absoluta (Manuel Bandeira) Morrer. Morrer de corpo e de alma. Compl...
El Principito – XXI El Principito - XXI (Antoine de Saint-Exupéry) ... A raposa calou-se e consi...

Deixe uma resposta