O Binômio de Newton

Print Friendly, PDF & Email

O Binômio de Newton (Álvaro de Campos)

O Binômio de Newton é tão belo como a Vênus de Milo.
O que há é pouca gente para dar por isso.
óóóó—óóóóóó óóó—óóóóóóó óóóóóóóó
(O vento lá fora.)

15-1-1928

Publicações relacionadas

Sobre la poesía Sobre la poesía (Juan Gelman) habría un par de cosas que decir/ que nadie l...
A dança da psique A dança da psique (Augusto dos Anjos) A dança dos encéfalos acesos Começa. A...
Ofélia Ofélia (Arthur Rimbaud) Tradução de Jorge Wanderley ...
De profundis clamavi De profundis clamavi (Charles Pierre Baudelaire) ...

Deixe uma resposta