Razão de ser

Print Friendly, PDF & Email

Razão de ser (Paulo Leminski)

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso.
Preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?

Publicações relacionadas

Canção da formosura Canção da formosura (Cruz e Souza) Vinho de sol ideal canta e cintila ...
André Chénier André Chénier (Augusto dos Anjos) Na real magnificência dos gigantes Grave c...
Bate a luz no cimo… Bate a luz no cimo... (Fernando Pessoa) Bate a luz no cimo Da montanha, vê....
As vogais As vogais (Arthur Rimbaud) Tradução de Celso Vieira A negro, E, branco, ...

Deixe uma resposta