Saudades

Print Friendly, PDF & Email

Saudades (Florbela Espanca)

Do Livro de Soror Saudade

Saudades! Sim…talvez…e porque não?…
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!

Esquecer! Para quê?…AH! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagradao como o pão!

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!

Publicações relacionadas

A descoberta A descoberta (Oswald de Andrade) Seguimos nosso caminho por este mar de longo...
Romance del emplazado Romance del emplazado (Federico Garcia Lorca) Para E...
Deste castigo fatal Deste castigo fatal (Gregório de Matos) Deste castigo fatal, q...
Soneto de intimidade Soneto de intimidade (Vinicius de Moraes Nas tardes da fazenda há muito azul ...

Deixe uma resposta