Tristeza do Império

Print Friendly, PDF & Email

Tristeza do Império (Carlos Drummond de Andrade)

Os conselheiros angustiados
ante o colo ebúrneo
das donzelas opulentas
que ao piano abemolavam
“bus-co a cam-pi-na se-rena
pa-ra li-vre sus-pi-rar”
esqueciam a guerra do Paraguai,
o enfado bolorento de São Cristóvão,
a dor cada vez mais forte dos negros
e sorvendo mecânicos
uma pitada de rapé,
sonhavam a futura libertação dos instintos
e ninhos de amor a serem instalados nos
arranha-céus de Copacabana, com rádio e telefone automático

——————————————————————————–

Publicações relacionadas

Eterna Mágoa Eterna Mágoa (Augusto dos Anjos) O homem por sobre quem caiu a praga Da tris...
Neologismo Neologismo (Manuel Bandeira) Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento pala...
Folhas de Rosa Folhas de Rosa (Florbela Espanca) Todas as prendas que me deste, um dia, Gua...
A um epiléptico A um epiléptico (Augusto dos Anjos) Perguntarás quem sou?! - ao suor que te u...

Deixe uma resposta