A Neve

Print Friendly, PDF & Email

A Neve (Alberto Caeiro)

A neve pôs uma toalha calada sobre tudo.
Não se sente senão o que se passa dentro de casa.
Embrulho-me num cobertor e não penso sequer em pensar.
Sinto um gozo de animal e vagamente penso,
E adormeço sem menos utilidade que todas as ações do mundo.

Publicações relacionadas

As horas pela alameda As horas pela alameda (Fernando Pessoa) As horas pela alameda Arrastam ve...
El limonero El limonero (Antonio Machado) El limonero lánguido suspende una pálida rama...
A Perfeição A Perfeição (Cruz e Souza) A Perfeição é a celeste ciência Da cristalização ...
Madrigal al billete de tranvía... Madrigal al billete de tranvía (Rafael Alberti) Adonde el viento, impávido...

Deixe uma resposta