Pouco a Pouco

Print Friendly, PDF & Email

Pouco a Pouco (Alberto Caeiro)

Pouco a pouco o campo se alarga e se doura.
A manhã extravia-se pelos irregulares da planície.
Sou alheio ao espetáculo que vejo: vejo-o,
É exterior a mim. Nenhum sentimento me liga a ele.
E é esse sentimento que me liga à manhã que aparece.

Publicações relacionadas

Esta Tarde a Trovoada Caiu Esta Tarde a Trovoada Caiu (Alberto Caeiro) ...
Ápice Ápice (Mário de Sá Carneiro) O raio do sol da tarde Que uma janela perdida ...
Preceito 09 Preceito 09 (Gregório de Matos) Do nono não digo nada, porque para mim é ...
Cantiga Cantiga (Manuel Bandeira) Nas ondas da praia Nas ondas do mar Quero ser fel...

Deixe uma resposta