Pouco a Pouco

Print Friendly, PDF & Email

Pouco a Pouco (Alberto Caeiro)

Pouco a pouco o campo se alarga e se doura.
A manhã extravia-se pelos irregulares da planície.
Sou alheio ao espetáculo que vejo: vejo-o,
É exterior a mim. Nenhum sentimento me liga a ele.
E é esse sentimento que me liga à manhã que aparece.

Publicações relacionadas

Lento mas vem Lento mas vem (Mario Benedetti) Do livro "Pe...
Minha Finalidade Minha Finalidade (Augusto dos Anjos) Turbilhão teleológico incoercível, Que ...
Canto de regresso à patria Canto de regresso à patria (Oswald de Andrade) Minha terra tem palmares ...
A Atriz Eugênio Câmara A Atriz Eugênio Câmara (Castro Alves) No dia seguinte ao de uma vaia so...

Deixe uma resposta