A vida anterior

Print Friendly, PDF & Email

A vida anterior (Charles Pierre Baudelaire)

Tradução de Guilherme de Almeida

Muito tempo habitei sob pórticos altos
Que ardendo aos sóis do mar em fogos caprichosos,
Com seus grandes pilares retos, majestosos,
Tinham, de noite, um ar de grutas de basaltos,

As ondas, refletindo os céus imaginosos,
Iam, solenemente, em místicos assaltos,
Às tintas do sol-poente em meus olhos ociosos,
Misturando os acordes ricos dos seus saltos

Foi aí que vivi nas volúpias mais calmas,
Circundando de azul, de vagas, de esplendores,
De escravos todos nus, impregnados de odores,

Refrescando-me a fronte ao embalo das palmas,
E cujo único intento era o de aprofundar
O mal que me fazia aos poucos definhar.

Publicações relacionadas

Idealização da Humanidade Futu... Idealização da Humanidade Futura (Augusto dos Anjos) Rugia nos meus centros c...
Tristeza do Império Tristeza do Império (Carlos Drummond de Andrade) Os conselheiros angustiados ...
Oração Oração (Charles Pierre Baudelaire) T...
Quem se defende Quem se defende (Bertold Brecht) Quem se defende porque lhe tiram o ar Ao lh...

Deixe uma resposta