A vida assim nos afeiçoa

Print Friendly, PDF & Email

A vida assim nos afeiçoa (Manuel Bandeira)

Se fosse dor tudo na vida,
Seria a morte o grande bem.
Libertadora, apetecida,
A alma dir-lhe-ia, ansiosa: – “Vem!

Mas horas há que marcam fundo…
Feitas, em cada um de nós,
De eternidades de segundo,
Cuja saudade extingue a voz.

A vida assim nos afeiçoa,
Prende. Antes fosse toda fel!
Que ao se mostrar às vezes boa,
Ela requinta em ser cruel…

Publicações relacionadas

Canção II Canção II (Cecília Meireles) Quero um dia para chorar. Mas a vida vai tão d...
Fim Fim (Mário de Sá Carneiro) Quando eu morrer batam em latas, Rompam aos salto...
Hino à Dor Hino à Dor (Augusto dos Anjos) Dor, saúde dos seres que se fanam, Riqueza da...
Confesso eu sou poeta Confesso eu sou poeta (Paulo Leminski) parem eu confesso sou poeta ca...

Deixe uma resposta