Pré-história

Print Friendly, PDF & Email

Pré-história (Murilo Mendes)

Mamãe vestida de rendas
Tocava piano no caos.
Uma noite abriu as asas
Cansada de tanto som,
Equilibrou-se no azul,
De tonta não mais olhou
Para mim, para ninguém!
Cai no álbum de retratos.

Publicações relacionadas

Elogio da Dialética Elogio da Dialética (Bertold Brecht) A injustiça passeia pelas ruas com passo...
Que lindos olhos de azul inoce... Que lindos olhos de azul inocente os do pequenito do agiota! (Álvaro de Campos) ...
Noturno Noturno (Antero de Quental) Espírito que passas, quando o vento Adormece no ...
Amor de tarde Amor de tarde (Mario Benedetti) Do livro "Po...

Deixe uma resposta