Carta ao Acaso

Print Friendly, PDF & Email

Carta ao Acaso (Paulo Leminski)

a carta do baralho
grande gilete
corta sem barulho
o olho do valete
o rei a fio de espada
a água e a farinha
uma só passada
a espada na rainha.

Publicações relacionadas

Qualquer pano, quando está suj... Qualquer pano, quando está sujo (Bertold Brecht) Qualquer pano, quando está s...
Das coisas Das coisas (Paulo Leminski) que eu fiz a metro todos saberão quantos quilôm...
Ode à mordaça Ode à mordaça (Mario Benedetti) Do livro "Inv...
Começa a ir ser dia Começa a ir ser dia (Fernando Pessoa) Começa a ir ser dia, O céu negro come...

Deixe uma resposta