não creio

Print Friendly, PDF & Email

não creio (Paulo Leminski)

do livro “Caprichos e Relaxos.”

que fosse maior
a dor de dante
que a dor
que este dente
de agora em diante
sente

não creio
que joyce
visse mais numa palavra
mais do que fosse
que nesta pasárgada
ora foi-se

tampouco creio
que mallarmé
visse mais
que esse olho
nesse espelho
agora
nunca
me vê.

Publicações relacionadas

Trezentos cules assassinados Trezentos cules assassinados (Bertold Brecht) Trezentos cules assassinados de...
Minha grande ternura Minha grande ternura (Manuel Bandeira) Minha grande ternura Pelos passarinho...
Os Pastores de Virgílio Os Pastores de Virgílio (Alberto Caeiro) ...
Elogio do Revolucionário Elogio do Revolucionário (Bertold Brecht) Quando aumenta a repressão, muitos ...

Deixe uma resposta