não creio

Print Friendly, PDF & Email

não creio (Paulo Leminski)

do livro “Caprichos e Relaxos.”

que fosse maior
a dor de dante
que a dor
que este dente
de agora em diante
sente

não creio
que joyce
visse mais numa palavra
mais do que fosse
que nesta pasárgada
ora foi-se

tampouco creio
que mallarmé
visse mais
que esse olho
nesse espelho
agora
nunca
me vê.

Publicações relacionadas

Confidência do Itabirano Confidência do Itabirano (Carlos Drummond de Andrade) Alguns anos vivi em Ita...
A alma do vinho A alma do vinho (Charles Pierre Baudelaire) ...
Flor do mar Flor do mar (Augusto dos Anjos) És da origem do mar, vens do secreto, ...
Certa vez numa cidade Certa vez numa cidade (Walt Whitman) Certa vez eu passei por uma cidade bem ...

Deixe uma resposta