Canção II

Print Friendly, PDF & Email

Canção II (Cecília Meireles)

Quero um dia para chorar.
Mas a vida vai tão depressa!
– e é preciso deixar contida
a tristeza, para que a vida,
que acaba quando mal começa,
tenha tempo, de se acabar.

Não quero amor, não quero amar…
Não quero nenhuma promessa
nem mesmo para ser cumprida.
Não quero a esperança partida,
nem nada de quanto regressa.
Quero um dia para chorar.

Quero um dia para chorar.
Dia de desprender-me dessa
aventura mal entendida.
sobre os espelhos sem saída
em que jaz minha face impressa.
Chorar sem protesto. Chorar.

Publicações relacionadas

Momentos ao natural Momentos ao natural (Walt Whitman) Momentos ao natural, quando vocês vêm a m...
O Lupanar O Lupanar (Augusto dos Anjos) Ali! Por que monstruosíssimo motivo Prenderam...
O impossível carinho O impossível carinho (Mário de Andrade) Escuta, eu não quero contar-te o meu ...
Só enquanto isso Só enquanto isso (Mario Benedetti) Do livr...

Deixe uma resposta