Canção II

Print Friendly, PDF & Email

Canção II (Cecília Meireles)

Quero um dia para chorar.
Mas a vida vai tão depressa!
– e é preciso deixar contida
a tristeza, para que a vida,
que acaba quando mal começa,
tenha tempo, de se acabar.

Não quero amor, não quero amar…
Não quero nenhuma promessa
nem mesmo para ser cumprida.
Não quero a esperança partida,
nem nada de quanto regressa.
Quero um dia para chorar.

Quero um dia para chorar.
Dia de desprender-me dessa
aventura mal entendida.
sobre os espelhos sem saída
em que jaz minha face impressa.
Chorar sem protesto. Chorar.

Publicações relacionadas

Outros Outros (Oscar Wilde) "uma coisa não se torna necessariamente verdadeira por a...
La Saeta La Saeta (Antonio Machado) ¿Quién me presta una escalera, (Quem me empres...
Idealismo Idealismo (Augusto dos Anjos) Falas de amor, e eu ouço tudo e calo! O amor d...
No Entardecer Passa uma Borboleta (Alberto Caeiro) ...

Deixe uma resposta