Canção II

Print Friendly, PDF & Email

Canção II (Cecília Meireles)

Quero um dia para chorar.
Mas a vida vai tão depressa!
– e é preciso deixar contida
a tristeza, para que a vida,
que acaba quando mal começa,
tenha tempo, de se acabar.

Não quero amor, não quero amar…
Não quero nenhuma promessa
nem mesmo para ser cumprida.
Não quero a esperança partida,
nem nada de quanto regressa.
Quero um dia para chorar.

Quero um dia para chorar.
Dia de desprender-me dessa
aventura mal entendida.
sobre os espelhos sem saída
em que jaz minha face impressa.
Chorar sem protesto. Chorar.

Publicações relacionadas

As catadeiras de piolhos As catadeiras de piolhos (Arthur Rimbaud) Tradução de R.Magalhães Junior ...
Animais Animais (Walt Whitman) Penso que poderia desviar-me e viver com os animais, s...
Os bilhetes por favor Os bilhetes por favor (David Hebert Lawrence) Há no centro da Inglat...
Ninho Ninho (Federico Garcia Lorca) Traduç...

Deixe uma resposta