As meninas da gare

Print Friendly, PDF & Email

As meninas da gare (Oswald de Andrade)

Eram três ou quatro moças bem moças e bem gentis
Com cabelos mui pretos pelas espáduas
E suas vergonhas tão altas e tão saradinhas
Que de nós as muito bem olharmos
Não tínhamos nenhuma vergonha.

Publicações relacionadas

Ontem à Tarde Ontem à Tarde (Alberto Caeiro) De O...
El viajero El viajero (Antonio Machado) Está en la sala familiar, sombría, y entre nos...
O Laço de Fita O Laço de Fita (Castro Alves) Não sabes crianças? 'Stou louco de amores... ...
Soneto da Fidelidade Soneto da Fidelidade (Vinicius de Moraes De tudo, ao meu amor serei atento ...

Deixe uma resposta