Ave Dolorosa

Print Friendly, PDF & Email

Ave Dolorosa (Augusto dos Anjos)

Ave perdida para sempre – crença
Perdida – segue a trilha que te traça
O Destino, ave negra da Desgraça,
Gêmea da Mágoa e núncia da Descrença!

Dos sonhos meus na Catedral imensa
Que nunca pouses. Lá, na névoa baça
Onde o teu vulto lúrido esvoaça,
Seja-te a vida uma agonia intensa!

Vives de crenças mortas e te nutres,
Empenhada na sanha dos abutres,
Num desespero rábido, assassino…

E hás de tombar um dia em mágoas lentas,
Negrejadas das asas lutulentas
Que te emprestar o corvo do Destino!

Publicações relacionadas

O Mar, a Escada e o Homem O Mar, a Escada e o Homem (Augusto dos Anjos) O mar é triste como um cemitéri...
Ouço dizer que contra mim foi ... Ouço dizer que contra mim foi alegado (Walt Whitman) Ouço dizer que contra mi...
Preceito 03 Preceito 03 (Gregório de Matos) Pois no que toca a guardar dias Santos, e...
Soledades V Soledades V (Antonio Machado) Mediaba el mes de julio. Era un hermoso día. ...

Deixe uma resposta