Consulta

Print Friendly, PDF & Email

Consulta (Antero de Quental)

de Sonetos

Chamei em volta do meu frio leito
As memórias melhores de outra idade,
Formas vagas, que às noites, com piedade,
Se inclinam, a espreitar, sobre o meu peito…

E disse-lhes: No mundo imenso e estreito
Valia a pena, acaso, em ansiedade
Ter nascido? Dizei-mo com verdade,
Pobres memórias que eu ao seio estreito.

Mas elas perturbaram-se – coitadas!
E empalideceram, contristadas,
Ainda a mais feliz, a mais serena…

E cada uma delas, lentamente,
Com um sorriso mórbido, pungente,
Me respondeu: – Não, não valia a pena!

Publicações relacionadas

Demogorgon Demogorgon (Álvaro de Campos) Na rua cheia de sol vago há casas paradas e gen...
Veinte poemas de amor y una ca... Veinte poemas de amor y una canción desesperada - 20 (Pablo Neruda) Puedo esc...
Boêmios Boêmios (Álvares de Azevedo) Ato de uma comédia não escrita ...
Façamos um trato Façamos um trato (Mario Benedetti) Tradução Companheira você sabe que po...

Deixe uma resposta