Louvor a Unidade

Print Friendly, PDF & Email

Louvor a Unidade (Augusto dos Anjos)

Escafandros, arpões, sondas e agulhas
Debalde aplicas aos heterogêneos
Fenômenos, e, há inúmeros milênios,
Num pluralismo hediondo o olhar mergulhas!

Une, pois, a irmanar diamantes e hulhas,
Com essa intuição monística dos gênios,
À hirta forma falaz do are perennius
A transitoriedade das fagulhas!

Era a estrangulação, sem retumbância,
Da multimilenária dissonância
Que as harmonias siderais invade…

Era, numa alta aclamação, sem gritos,
O regresso dos átomos aflitos
Ao descanso perpétuo da Unidade!

Publicações relacionadas

Os sofrimentos do jovem Werthe... Os sofrimentos do jovem Werther (1774) - resumo (Johann Wofgang von Goethe) O...
Porquinho-da-Índia Porquinho-da-Índia (Manuel Bandeira) Quando eu tinha seis anos Ganhei um por...
Canção da formosura Canção da formosura (Cruz e Souza) Vinho de sol ideal canta e cintila ...
No Entardecer Passa uma Borboleta (Alberto Caeiro) ...

Deixe uma resposta