Louvor a Unidade

Print Friendly, PDF & Email

Louvor a Unidade (Augusto dos Anjos)

Escafandros, arpões, sondas e agulhas
Debalde aplicas aos heterogêneos
Fenômenos, e, há inúmeros milênios,
Num pluralismo hediondo o olhar mergulhas!

Une, pois, a irmanar diamantes e hulhas,
Com essa intuição monística dos gênios,
À hirta forma falaz do are perennius
A transitoriedade das fagulhas!

Era a estrangulação, sem retumbância,
Da multimilenária dissonância
Que as harmonias siderais invade…

Era, numa alta aclamação, sem gritos,
O regresso dos átomos aflitos
Ao descanso perpétuo da Unidade!

Publicações relacionadas

Nunca Mais! Nunca Mais! (Florbela Espanca) Ó castos sonhos meus! Ó mágicas visões! Quime...
Por que cantamos Por que cantamos (Mario Benedetti) Do livro ...
Se Eu Morresse Amanhã! Se Eu Morresse Amanhã! (Alvares Azevedo) Se eu morresse amanhã, viria ao meno...
Filhos Filhos (Ferreira Gullar) Daqui escutei quando eles chegaram rindo e cor...

Deixe uma resposta